07/09/2008

Refletindo sobre as possibilidades da Internet e do Blog na educação

Durante nosso curso, teremos a oportunidade refletir sobre as possibilidades do uso da Internet e do blog como ferramenta pedagógica. Esta atividade que estamos propondo, têm por objetivo iniciarmos esta reflexão sobre as possibilidades e os desafios da introdução da Internet e do blog na escola.

Para iniciar sua reflexão, imagine o seguinte dialogo entre você e seu aluno:

“Professora, você tem idéia do que está acontecendo agora na fronteira entre a Russia e a Finlândia?
Não. Não tive oportunidade de ler o jornal.
Mas eu sei.
Em verdade vos digo! Estes olhos que a terra há de comer vêem coisas que outros mortais não vêem!
Esses olhos viajam pelo mundo sem eu sai do lugar!
Então, você é um mistico?
Não professora, meus olhos precisam apenas de um monitor ligado a um computador conectado com a Internet. De dentro de casa meus olhos observam o mundo inteiro. Quando quero viajar procuro um site!”
(texto extraído do artigo”Olhos para enxergar o mundo inteiro” de Dogomir Marques – Revista InfoExame- março/98, pág. 25 ) - observe o ano.


ATIVIDADE 03


Depois de ler este diálogo, que sentimentos suscitaram em você? Deixe seu comentário.

Em que mundo estamos vivendo?

Segundo a revista Veja Especial Tecnologia/2007, em 1998, o Brasil estava na pré-história da tecnologia. A Internet era incipiente, a telefonia, jurássica, e os computadores caros. Em 1998 apenas 3,4 milhões de pessoas tinham acesso a Internet. Hoje 33 milhões de brasileiros usam a web, sendo que 6,4 milhões tem acesso à internet por banda larga.

Pesquise sobre o perfil hoje deste internauta.
Quem são eles? Jovens?
E a escola? Como anda o acesso a internet?
Você já teve a oportunidade de pesquisar sobre o interesse de seus alunos pela internet?


ATIVIDADE 04

Troque informações com seus colegas por email e envie uma copia para sua professora
No curso queremos propomos que você passe a olhar a internet como uma nova mídia, onde seu referencial está na possibilidade do uso abrangente, das múltiplas expressões do conhecimento humano e das diversas técnicas de comunicação. Estamos na era da civilização digital. Isto é um fato.

Qual a sua opinião sobre esse assunto?

Se você concorda, deve ter percebido também que a utilização pedagógica da Internet é um desafio que nós, professores e escolas, estamos enfrentando. Na sua concepção quais os principais desafios que enfrentamos? Enumere-os, se possível por ordem de dificuldade. Envie por email para seus colegas e professora.

Vamos fazer uma leitura no texto “Desafios da Internet para o professor” de José Manuel Moran.

Lei também o texto: As possibilidades das redes de aprendizagem, de José Manuel Moran.

Na sua opinião quais os limites e possibilidade do uso da Internet na educação?
Você acha que o blog pode oferecer aos professores e alunos, a chance de compartilhar e esclarecer duvidas, promover estudo em grupo com estudantes separados geograficamente, manifestar idéias e pensamentos?
Compartilhe sua opinião com seus colegas por email.

Finalmente, é importante que perceba a ocorrência de dois fatos e seus respectivos desafios.

O primeiro fato consiste em reconhecer que, verdadeiramente a escola, no atual modelo, está em crise. Assim o maior desafio está na quebra da reprodução de sistema tradicional de ensino pelos professores.

O segundo fato é aceitamos que a escola deverá trazer consigo as novas tecnologias presentes na sociedade. Neste caso, o desafio e saber como apropriarmos dessa tecnologia e provocar mudanças desejadas na educação.

Sinta-se a vontade para interferir, comentar, opinar, discordar das idéias apresentadas!
Sua interação é fundamental!!!
Deixe seu comentário.

Um comentário:

taniacarla disse...

Os jovens de hoje são intenautas natos , pois já nasceram na era digital ,enquanto nós ,muitas vezes ,temos medo de encarar, de aprender e os nossos alunos desafiam, buscam e querem. A curiosidade , a procura do novo dá coragem aos jovens , enquanto a maioria dos professoes encara um computador como um monstro, temos medo de estragar , de não conseguirmos , aí desistimos mesmo antes de começar.